Instituto de Previdência dos Servidores de São Bento do Una


São Bento do Una, Estado de Pernambuco


“Crianças bem alimentadas serão adultos saudáveis”, afirma Tereza Campello
A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome representou a presidenta Dilma Rousseff na cerimônia de entrega do Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar
28/11/2011
Merendeira há oito anos, Dilma Cavalcante garante que a maior alegria da vida é ouvir das crianças: “Tia, quero mais; tia, a comida está gostosa”. Dilma trabalha na Escola Municipal Professor Valdiro Cordeiro, em São Bento do Una, Pernambuco. Lá, eles atendem 150 crianças de 4 a 8 anos em tempo integral. “Servimos quatro refeições. Faço a comida como se fosse para os meus filhos. Tenho o maior amor por eles”, derrama-se. As crianças já vão para casa alimentadas e de banho tomado. Novamente emocionada, a merendeira confessa: “Já estou com saudades deles”.

Dilma foi uma das vencedoras do Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar e participou da cerimônia de entrega da oitava edição da premiação, nesta quarta-feira (23), em Brasília. “Crianças bem alimentadas serão adultos saudáveis”, disse a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, representando a presidenta Dilma Rousseff no evento. A ministra elogiou o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), do Ministério da Educação (MEC), que não só garante comida saudável como ajuda a dinamizar a economia local e a agricultura familiar. “É um casamento difícil.”

Ao pedir uma salva de palmas para as merendeiras, a ministra disse que “graças a elas não conseguimos só uma alimentação saudável, como também gostosa”. Ela lembrou que foi recém-construído o primeiro Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em que “a alimentação escolar é um dos carros-chefes”.

Também participaram da cerimônia os ministros da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e o presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e da comissão julgadora do prêmio, Renato Maluf.

“A escola deve ser instrumento difusor para além da sala de aula, cuidando também da educação alimentar”, afirmou Renato Maluf, lembrando que o País vive momento crucial para o avanço na estratégia do Pnae. “Acabamos de lançar o plano específico para a área, estamos construindo o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), e implantando uma estratégia para o setor.”

Exemplos – Antoninho Marmo Trevisan, presidente do comitê gestor da Ação Fome Zero, entidade promotora da premiação, explicou que “o prêmio se destina a quem faz a coisa bem feita. São exemplos para todas as cidades brasileiras e deve se tornar fatores estimulantes em que outros municípios se espelhem”.

Prefeitos, secretários, nutricionistas e merendeiras das 22 prefeituras premiadas estavam presentes à cerimônia, em Brasília. Eles foram escolhidos de um total de 1.082 inscritos e 37 finalistas, após visita de técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do MDS, integrantes da comissão de seleção. Hetel dos Santos, que participou pelo MDS, explicou que um dos critérios foi que o município adotasse a compra mínima de 30% da produção da agricultura familiar para compor a merenda escolar.

Neste ano, o MDS propôs a instituição de mais duas categorias: a de compra de merenda usando produtos orgânicos da agricultura familiar e a de compra de merenda com produtos da sociobiodiversidade, que contemplam a produção e os serviços dos agricultores familiares, extrativistas, povos e comunidades tradicionais, entre outros. “Essas categorias seguirão nas próximas edições”, explicou Hetel.

As experiências premiadas são divulgadas no Observatório de Boas Práticas do portal da Ação Fome Zero (www.acaofomezero.org.br). A organização não governamental, criadora do certame, representa uma aliança de empresas que apoiam e promovem ações de desenvolvimento social.

Premiados – O município paraense de Paragominas foi premiado pela oitava vez. O prefeito Adnan Demachki explica que não é só vontade política, é preciso preparar o pequeno agricultor e fornecer um ambiente favorável para a produção. “Tivemos que tornar os agricultores empreendedores, e para isso contamos com o Sebrae. Atendemos às demandas de poço artesiano e instalação de estufa para a produção de frutas e verduras.”

O município, de 100 mil habitantes, conta com 100 escolas, das quais 11 em aldeias indígenas. “São 30 mil crianças que recebem diariamente a merenda escolar”, informou o prefeito. “A gente compra tudo que pode da agricultura familiar. Atualmente, são 40%, mas a meta é que o município tenha 100% da merenda adquirida da agricultura familiar.”

Localizado no brejo paraibano, a 45km de Campina Grande, Areia foi o destaque de merenda com produtos orgânicos da agricultura familiar. O prefeito Elson da Cunha Lima Filho afirma ser uma preocupação o cuidado com a alimentação escolar de boa qualidade. “Apoiamos a agricultura familiar, seguimos as normas do MEC e isso tem melhorado a qualidade da alimentação da nossa merenda. Temos uma nutricionista e incluímos produtos produzidos no próprio município, gerando renda para a região. Compramos hoje cerca de 40% da agricultura familiar.” Areia conta com 30 escolas e 4 mil alunos.

Alimentação escolar – Em 2010, 51% das entidades atendidas pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) foram escolas, que somaram 9.092 unidades no País. O volume de recursos investido no PAA em 2010 superou os R$ 600 milhões e o programa beneficiou 146.385 agricultores familiares, com a aquisição de mais de 430 mil toneladas de alimentos. Em 2011, a previsão de recursos é de R$ 793 milhões, para atender 203,3 mil agricultores familiares.

O MDS participa do grupo consultivo que debate a aplicação da lei que instituiu a obrigatoriedade da inserção mínima de 30% de gêneros alimentícios oriundos da agricultura familiar no Pnae.

Este ano, o MDS lançou edital para implantar 26 unidades de apoio à distribuição de alimentos da agricultura familiar em 26 municípios, com investimento total de R$ 11,7 milhões. O objetivo é auxiliar a armazenagem e a distribuição desses produtos voltados para o PAA e o Pnae.

Vencedores em cada categoria do Prêmio Gestor Eficiente da Merenda Escolar

1) Pequenas cidades: Brasilândia do Tocantins (Tocantins), Pintadas (Bahia); Alto Horizonte (Goiás), Coimbra (Minas Gerais) e Mercedes (Paraná)

2) Médias e grandes cidades: Rio Branco (Acre), Cabedelo (Paraíba), Maracaju (Mato Grosso do Sul), Itaguaí (Rio de Janeiro) e Rio do Sul (Santa Catarina)

3) Valorização profissional das merendeiras: Castanhal (Pará), Ipaumirim (Ceará), Guarantã do Norte (Mato Grosso), Orizânia (Minas Gerais) e Concórdia (Santa Catarina)

4) Merenda indígena e/ou quilombola: Paragominas (Pará), São Bento do Una (Pernambuco), Araruama (Rio de Janeiro) e São Lourenço do Sul (Rio Grande do Sul)

5) Projeto destaque do Semiárido: Zabelê (Paraíba)

6) Destaques merenda com produtos orgânicos da agricultura familiar: Areia (Paraíba), São Francisco (Paraíba) e Paragominas (Pará)

7) Merenda com produtos da sociobiodiversidade: Rio Branco (Acre)


Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome